Fim de Casamento – Como Superar Uma Separação

por Barbara Duarte

Fim de Casamento - Como Superar Uma Separação

Quando me separei ouvi de uma mesma pessoa bons e maus “conselhos”. Esta pessoa, como uma separada de dois casamentos, dizia entender tudo sobre o assunto! Não vou aqui entrar no mérito dos maus conselhos, pois algumas das coisas que ela me disse foram simplesmente horrorosas, mas uma das coisas boas, ou a única coisa boa foi: “é difícil mas, passa”. Quatro meses depois (e na minha cabeça tudo ainda é recente demais) gostaria de compartilhar com vocês o que vivi até aqui no fim do meu casamento e como superar uma separação.

Longe de haver soluções prontas o que eu pretendo aqui é apenas dividir o que passei e estou passando. Considerando que  experiências de outras pessoas vêm me ajudando bastante a entender e aceitar melhor este momento, resolvi contar como venho me sentindo para quem sabe, poder ajudar quem estiver lendo isso e passando pela mesma situação.

 

O Início:

os primeiros dias (ou o primeiro mês) são os piores, sem sombra de dúvidas. Como um amigo disse, no começo você fica tentando descobrir que caminhão te atropelou! Brincadeiras à parte, a realidade é bem esta mesmo. Com a mudança de casa, a divisão do quê ficaria para quem e a arrumação do que é (foi) meu antigo quarto, de quando solteira, o trabalho (ou melhor, a transferência do trabalho – me mudaram simplesmente da região da Paulista para Itaquera), imaginem só, eu quase surtei. Não sabia onde estavam minha roupas, não tinha uma cama decente para dormir, saía cedo e voltava tarde para casa todos os dias e ainda trabalhava em alguns sábados do mês. Fica fácil entender, pelo que narrei, que a vida estava uma bagunça sem fim.

Precisava me adaptar em todos os sentidos que se possa imaginar, porém a questão mais difícil era (e ainda é) a vida pessoal.  Foram 26 anos de relacionamento entre namoro e casamento e quando eu fiz as contas, me espantei ao descobrir que passei mais da metade da minha adulta com meu ex-marido. Isso, definitivamente, não é algo fácil de superar.

 

Fim de Casamento - Como Superar Uma Separação

 

O meio:

eu acredito que, agora, é aqui que me encontro. Depois de todos estes primeiros meses do ano, uma nova rotina quase instituída, venho me sentindo melhor. Quando a gente ouve que o ser humano precisa de rotina para viver bem, eu não levava isso muito à sério, até porque sempre tive meus problemas com rotina, mas agora entendo bem que o caos não é nosso amigo.

O primeiro e o segundo mês da separação foram, de longe, os piores: chorava todos os dias e precisava segurar o choro dentro do ônibus, do metrô, onde fosse. Nas primeiras semanas eu simplesmente não queria falar com ninguém, mas é claro que foi justamente nesta época que a família resolveu fazer visitas o tempo todo, primos vindo de fora do país, essas coisas. Daí que aos poucos fui sentindo que se não me adaptasse, tudo que restaria seria cortar os pulsos.  Ah, no primeiro mês, para não ajudar, também teve meu aniversário, que é claro, fiz questão que passasse em branco pois a minha vontade de comemorar qualquer coisa era zero.

Agora que tudo está mais assentado na minha cabeça (e minha mudança se acertou), começo a entender, ver e compreender o que aconteceu, o porquê de ter acontecido (não que eu não soubesse antes mas quando se é parte da situação é mais difícil ver tão claramente).  Outra coisa que melhora é a péssima sensação de abandono, que vai passando. Hoje, tenho dias mais tranquilos e dias mais tristes, mas imagino que não haja mesmo muita coisa diferente na vida de quem tentou fazer de tudo para levar adiante um casamento longo, que por muito tempo foi bom. Às vezes acho que este foi justamente meu erro, arrastar uma situação que deveria ter terminado anos antes.

 

Os Erros:

uma outra coisa que me disseram e acho que sabiamente: deixe de tentar encontrar os erros, quem errou, quem acertou. Isso não leva à nada. O que está feito, está feito. Nenhum sentimento de culpa à esta altura vai ajudar em nada, pelo contrário, só aumenta a angústia. Então, se não há volta, não há mais o que ser dito, simplesmente se despeça, a gente precisa de paz de espírito para continuar tocando a vida e se existe algo que não consegue nos prover paz é uma separação, pelo menos não no início.

 

O Futuro:

posso dizer que já superei a separação? Não, não posso. Acredito que meu caminho ainda seja longo mas a verdade é que já me sinto bem melhor, que com a ajuda de todas as pessoas que se dispuseram a conversar comigo sobre este assunto e suas experiências venho conseguindo entender e ver que há futuro, que há uma vida centrada em mim me esperando. No momento, sei que eu sou a prioridade, reconstruir meu eu individual é meu foco principal.

Então o que consigo dizer até agora: se estiver vivendo uma separação e precisar superá-la, como todos precisam, busque ajuda das pessoas de quem gosta, em quem confia, leia sobre o assunto, converse, fale, chore, tudo isso faz bem para exorcizar e dê tempo ao tempo. Nada vai ajudar mais que o tempo. Se fixe em algo, pode ser o trabalho, um projeto pessoal. No meu caso, como meu trabalho era trivial demais e não me realizava, voltei minha atenção para este site, minhas redes sociais, aquilo que sempre soube fazer, além dos estudos. Começar de novo, em um site novo, é um desafio bem grande, que requer atenção total e bastante dedicação. Desta forma, venho ocupando meu tempo e pensando quais meus próximos passos para o futuro, a vida.

Agora venho usando este canal para falar com pessoas que podem aparecer aqui e que nem conheço mas que talvez estejam precisando ler algo que as leve para um novo caminho, como eu e que eu, assim possa ajudar escrevendo este post ou respondendo a um comentário. Estarei sempre por aqui.

 

 

15 comentários
5

Você também pode gostar

15 comentários

Paula Souza 24/04/2020 - 16:28

Minha amiga, te entendo tanto!
A minha separação já vai fazer aniversário de 2 anos, agora em maio. Parece que foi ontem, mas ao mesmo tempo dá impressão que aquela vida de antes nem era nessa mesma vida (encarnação, pra quem acredita). Louco isso, né?
Ainda bem que bom ou mau, tudo passa.. então vamos viver tudo o que há pra viver! Conte comigo sempre pra conversar.
Bjs,
Paula

Responder
Barbara Duarte 24/04/2020 - 16:46

Oi Paula,

é, o tempo voa! E eu acredito muito nisso que você disse, de parecer que era outra vida, que nem era você. Eu ainda não consegui esquecer tudo não, até porque a quarentena não está ajudando com que eu possa sair, passear, arejar a cabeça mas apesar de alguns dias serem piores que outros, no geral eu estou me sentindo bem melhor. Tenho que trabalhar então isso é bom para me fazer pensar em outras questões.

Obrigada pelo apoio de sempre. Sem ajuda eu não sei onde estaria!

Bjs

Responder
Demetrius 25/04/2020 - 18:58

Oi Barbara,
Você mencionou algo que é muito importante, conversar ajudar bastante, e vai da sensibilidade de cada um escolher quando falar e quando guardar os sentimentos e digerir um pouco.
A jornada nem sempre é curta e quase nunca é fácil, mas você mostra muita verdade e lucidez nas suas palavras, o foco na sua individualidade é fundamental. Obrigado por compartilhar!

Bjs!

Responder
Barbara Duarte 26/04/2020 - 16:35

Oi Demetrius,

conversar tem sido a única coisa (além do tempo, mas este eu não tenho controle sobre) que tem me ajudado. Estas mensagens têm sido fundamentais para mim, para me encorajar, a me fazer sentir não um pedaço de lixo porque separações têm esse poder, fazer a gente se sentir péssima, imprestável. Não importa o quanto tenha havido de emprenho, força de vontade, trabalho, tudo parece ter sido em vão, uma perda de tempo e aí entra a cilada, se a gente cai, vem a depressão e aí sabe-se lá Deus quando consegue sair.

A jornada não tem sido nem um pouco fácil mas eu tive a sorte de contar com pessoas maravilhosas que me ajudaram e estão me ajudando de formas que eu nunca imaginaria. Isso, para mim, não tem preço e eu nunca serei capaz de agradecer a todos de forma justa e apropriada.

Verdadeira eu sempre serei, sempre fui. Tudo que faço, ou fiz, na minha vida foi de verdade. E meu desejo de prosseguir, de uma forma mais leve é o que vem me guiando agora. Carreguei um fardo grande nos meus últimos anos e por enquanto minha vontade é ter menos preocupações. Nada disso, infelizmente, leva a tristeza embora mas ajuda e muito a pensar que dias melhores virão!

Obrigada mesmo pelo seu comentário! Vocês todos são os melhores leitores e amigos que eu poeria ter 🙂

Bjs

Responder
Carla Mariano 25/04/2020 - 21:13

Querida Bárbara, primeiramente, lhe desejo muito sucesso! O blog está lindo de viver!
Não tocaria neste assunto por saber o quão delicado é e a carga que vem junto com o tema, mas como bem disse no texto, isso passa. Viver é essa montanha-russa mesmo, por mais que a gente faça mil planos e tenha mil concepções das coisas, tudo é mutável.
Que sua nova rotina lhe permita produzir bastante, explorar todo seu incrível potencial, te fortalecer e no tempo certo, florescer novamente para novos e bons acontecimentos.
Precisando, estou aqui.. Sou sua audiência tal qual era no podcast e agora em seu novo blog viu.
Um grande beijo, cheio de carinho e respeito por uma mulher incrível, com o riso mais maravilhoso do mundo, que merece muito ser mais e mais feliz, a cada dia.

Você é tudo de bom!

Beijos
Carla Mariano
@maoslindas

Responder
Barbara Duarte 26/04/2020 - 16:23

Carla,

como tem sido incrível as mensagens que tenho recebido. Você não pode imaginar o quanto isso me ajuda, me faz feliz e me encoraja a continuar. De verdade, eu nunca pensei que receberia tantas mensagens de ouvintes, leitoras, amigas(os). Isso é o que faz a gente ter vontade de prosseguir porque olha, não é fácil.

Imaginar a vida toda que a gente seria casado com aquela pessoa de quase 30 anos em nossa vida e de repente ver tudo ir por água abaixo (de repente não né, os indícios vão aparecendo, as coisa vão mandando seus recados, mas a gente tenta achar desculpa para todos os comportamentos) e de literalmente uma ano para o outro – tudo aconteceu meio que na virada de 2019 para 2020 ter que se mudar de casa, de vida, de blog, de tudo, é um choque sem fim.

Mas estou aqui, tentando ser firme e forte e seu comentário me fez chorar, mas de felicidade, porque agora sou assim, choro por tudo rsrsrs

Em breve quero poder voltar a falar com vocês por podcast, sim, vou começar o meu! Só meu, porque agora sou assim também, tudo será só meu!! Pelo menos pelo tempo em que a vida me deixar programar algo, já que aprendi bem a lição de que muito não se pode prever, muito menos controlar.

Obrigada pelo comentário, pelos elogios, pelo carinho, a atenção e o tempo destinado a escrever para mim <3

Nunca vou deixar ninguém dizer que as amizades feitas pela internet são superficiais!

Bjs

Responder
Beto Machado 26/04/2020 - 20:51

Oi Bárbara!
Que relato sóbrio! Certamente clareia os caminhos de quem passa pela mesma situação!
Obrigado e vamo q vamo!
Um Abraco!

Responder
Barbara Duarte 26/04/2020 - 22:39

Olá Beto,

a ideia foi essa mesmo, me ajudar e também tentar ajudar quem estiver lendo isso, que esteja vivendo a mesma situação.

Vamos que vamos mesmo! Não há outra alternativa.

Bjs

Responder
Cíntia Costa 27/04/2020 - 01:31

Babi, um abraço forte pra ti. O divórcio foi uma das piores experiências por que passei e, ao mesmo tempo, a melhor coisa que me aconteceu. Essa fase que você passou e essa em que está são muito duras, mesmo. Meu conselho é que procure uma terapia,me ajudou muito a atravessar… Mas o que vim dizer é que, depois de passado o pior, melhora, e muito. Pode acreditar. Não tem como escapar da tristeza e da dor, faz parte… Mas uma hora, é verdade, passa. Se precisar de alguém pra trocar ideia, tô sempre aqui. Um beijo!
Os: deixo aqui um post que fiz falando das fases que passei no meu: https://cintiacosta.com/portugues/uncategorized/9-coisas-que-voce-sente-quando-passa-por-um-divorcio/

Responder
Barbara Duarte 27/04/2020 - 17:08

Cíntia,

acabei de ler seu comentário e fui ler seu post, nossa, quanta verdade escrita ali! Me senti parte daquilo tudo que você escreveu.
No final das conta,s pelo que tenho visto e ouvido, todos que se separam sentem as mesmas coisas: tristeza, raiva, sensação de ser trouxa, mas também a leveza que em algum momento começa a aparecer, lá no fundinho da alma (já tenho às vezes experimentado isso).

Queria te agradecer pelo comentário e pela indicação do seu post porque imagina eu que me separei no início deste ano e logo no dia 20 de março entramos em quarentena. Não tive tempo de passear, de sair com amigos, nada. Aliás, isso é outra coisa né, se dar conta (porque é óbvio que vc já sabia) que todos os seus amigos são casados e não tem ninguém quase solteiro para ser sua companhia e vc precisa fazer tudo sozinha, se quiser sair.

Olha, eu não curto essa coisa de se arrepender do que fez da vida porque se fiz foi porque um dia quis e achei que seria bom para mim, mas quando a gente imagina como teria sido a vida se nunca tivesse casado, se nunca tivesse se importado tanto com o outro, se nunca tivesse deixado de fazer tanta coisa por causa deste outro, aff, é um mar de possibilidades. Mas enfim, casei e está feito e agora, desfeito. Acho que posso começar a viver estas experiências de agora em diante, se o coronavírus deixar rsrsrs.

Estou te seguindo lá no Insta 😉

Bjs e rumo à vida nova versão 2020!

Responder
Suelifumero 27/04/2020 - 09:39

Parabéns pelo texto Re!!
Orgulhosa de vc…
Não é fácil pra ninguem,e com certeza , o tempo nos mostra que as vezes foi a melhor coisa que poderia acontecer
Beijos no coração… e se precisar de um colinho to aqui rs

Responder
Barbara Duarte 27/04/2020 - 17:16

Oi Su!

Ainda é cedo para dizer se terá sido a melhor coisa que aconteceu. Nunca quis me separar, lutei até o fim para fazer aqueles 26 anos não acabarem com essa sensação de vazio que acabou mas foi, então agora só me resta refazer tudo.

Este site, que seu filho gentilmente fez para mim, é o primeiro passo de uma vida nova, em que as sociedades acabaram e tudo agora é só meu. Estou gostando disso, embora tomar decisões por conta própria às vezes sejam difíceis, preciso me acostumar a tomar as rédeas de tudo.

Obrigada pela oferta! Sem minha família e meus amigos eu não sei o que seria de mim neste momento!

Bjs

Responder
giovana 17/05/2020 - 11:05

Muito real e verdadeiro o texto. De fato, quando postergarmos um ciclo que já devia ter se encerrado, a culpa vira nossa companhia. Por outro lado, quando acaba, não ficamos com arrependimento nenhum não é mesmo? Afinal, tentamos de td! O principal é o que vc está no caminho de se reformular! Contente que canalizou as atenções para o site! Já é sucesso, parabéns!! um bjooo

Responder
Barbara Duarte 17/05/2020 - 13:49

Giovana,

este post me ajudou tanto neste processo de ir superando tudo que aconteceu que eu nunca imaginei como seria positivo escrever sobre o assunto. Ele foi meio que um divisor de águas do meu sofrimento. Melhorei bastante um tempo depois dele, acho que porque recebi muitos comentários, muito apoio, muita gente falou comigo sobre suas experiências neste assunto e foi uma ajuda e tanto!

Obrigada por sempre estar por perto. Precisamos nos conhecer pessoalmente um dia destes!

Bjs

Responder
As Celebridades Maravilhosas Que Passaram dos 40 Anos - Barbara Duarte 16/07/2020 - 22:29

[…] a leve impressão que, desde seu divórcio ela deu sim, uma envelhecida mais rapidamente. Bem, eu posso atestar que divórcios são, mesmo, capazes de envelhecer qualquer uma, incluindo a beldade milionária Angelina […]

Responder

Poste um comentário